Pesquisar

Canais

Serviços

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade

@mor - Daniel Glattauer ***

08 jan 2013 às 00:55
Continua depois da publicidade

Fazia tempo que eu não me divertia tanto lendo um livro. O romance do austríaco Daniel Glattauer, @mor, lançado no Brasil pela Suma de Letras, é incrivelmente simples e complexo em sua escrita - se é que isso é possível.
Ele é simples porque é inteiramente contado através de e-mails. Os protagonistas, Leo e Emmi, se conhecem por acaso por conta de uma correspondência eletrônica que foi enviada para o remetente errado. Já a história que se desenrola entre os dois é absurdamente complexa e real.
Não sei se senti ainda mais as emoções do protagonistas porque eu mesma conheci meu marido pela internet e sei como um relacionamento como esse pode se tornar forte e irresistivelmente viciante, ou se o autor criou tão bem a essência dos dois que você se envolve com o drama dos personagens. Não sei o que foi, mas sei que esse romance me prendeu do começo ao fim, linha por linha, e-mail por e-mail.
Se você nunca se apaixonou por alguém virtualmente, pode achar uma tolice. Mas acredite em mim, toda a história é absolutamente plausível e real. Sei disso, porque eu já vivi uma assim. Apaixone-se também por Leo e Emmi.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


"@mor.
Se você já encontrou a pessoa perfeita,
Por que se arriscar a conhecê-la pessoalmente?"

Continua depois da publicidade


"Assunto: Cancelamento
Gostaria de cancelar minha assinatura. Dá pra fazer por aqui?
Cordialmente,
E. Rothner"


18 dias depois

Continua depois da publicidade


"Assunto: Cancelamento
Quero cancelar minha assinatura. É possível por e-mail?
Solicito uma resposta rápida.
Cordialmente,
E. Rothner"


33 dias depois


"Assunto: Cancelamento
Prezados senhores e senhoras da editora Like.
Caso o fato de os senhores ignorarem insistentemente minha tentativa de cancelar uma assinatura tiver como objetivo não deixar cair o volume de vendas de seu produto, que está em lamentável e constante decadência, infelizmente devo lhes comunicar: eu não vou mais pagar!
Cordialmente,
E. Rothner"


Oito minutos depois


"Fw:
A senhora se enganou. Este é um e-mail particular. Meu endereço eletrônico é [email protected] A senhora certamente queria escrever para [email protected] A senhora já é a terceira pessoa que me pede o cancelamento. A revista realmente deve ter ficado muito ruim."


Cinco minutos depois


"Re:
Oh, me desculpe! E obrigada pelo esclarecimento.
Saudações,
E. R."


São esses e-mails que abrem o romance @mor e que são responsáveis pelo início da história de Emmi e Leo. A personagem principal está tentando cancelar a assinatura de uma revista, mas envia o e-mail para o remetente errado. Leo Leike, que não vive seus melhores dias, responde após a insistência de Emmi que ela cometeu um erro. Mas, o que era para terminar por aí se desenvolve de forma hilária em uma relação de amizade virtual.
Você pode estranhar o fato do livro ser contado exclusivamente por e-mails. Não há relatos paralelos sobre os personagens, suas vidas ou o que eles fazem em suas horas vagas. Não há narrador observador. Há somente uma porção de e-mails trocados entre duas pessoas que resolvem se conhecer melhor. Está aí a graça do romance. Tirando o que eles mesmos revelam para o outro, todo o restante fica por conta da imaginação do leitor, que começa a se sentir um intruso. É literalmente como se você conseguisse deliciosamente bisbilhotar os e-mails de alguém que está começando uma relação com um completo desconhecido.
A leitura é viciante. A cada e-mail você quer saber mais sobre os personagens, sobre o desenrolar da amizade e sobre os dramas que cada um está vivendo em seu universo particular - compartilhado apenas em doses homeopáticas em algumas linhas enviadas por correio eletrônico.
O livro não tem o desenrolar perfeito de uma relação simplesmente porque os personagens são muito verdadeiros. Você sente raiva de Emmi em alguns trechos, porque ela se mostra egoísta muitas vezes. Fica irritado com Leo, pela complacência e inércia. Mas tudo isso mostra o quanto o escritor foi inteligente em criar uma história tão simples com personagens tão complexos. Porque nós todos somos assim: chatos, legais, irritantes, egoístas, emotivos, apaixonados e apaixonantes em nossas qualidades e, principalmente, nossos defeitos.
O autor Daniel Glattauer nasceu em 1960, em Viena, e trabalha desde a década de 80 como escritor e jornalista.


Ps: quando chegar ao final do romance você pode querer matar o escritor, mas calma. O livro é uma duologia, então você terá que comprar a continuação, que deve ser lançada como "Emmi e Leo, A sétima [email protected]", pela mesma editora, ainda no primeiro semestre deste ano. Particularmente, eu acho que o livro todo poderia ter sido lançado em um volume só... Mas vocês sabem como são as editoras danadinhas!

Até a próxima, pessoal. ;)


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade