Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Sessão gratuita

Clássico de Zé do Caixão é exibido no Cineclube Alma de Londrina nesta quinta

Redação Bonde com N.com
13 jun 2024 às 11:25
- Divulgação
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O clássico do terror brasileiro “O Despertar da Besta”, de 1970, será exibido nesta quinta-feira (13) gratuitamente pelo Cineclube Alma, às 19h30, em Londrina. A sessão será realizada na Vila Cultural Alma Brasil na rua Argentina, 693, Vila Brasil e a classificação indicativa do filme é de 18 anos.


Dirigido por José Mojica Marins, o Zé do Caixão, filme escolhido para a atividade é um dos marcos do movimento Cinema Marginal.  “O Despertar da Besta” é um filme surrealista que mergulha nas profundezas perturbadoras da mente humana, misturando elementos de horror, crítica social e experimentação cinematográfica. A trama segue um grupo de pessoas que participam de um experimento científico com uso de substâncias alucinógenas, o que desencadeia uma jornada frenética através dos desejos reprimidos e dos medos mais sombrios da psique humana.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Esse é o terceiro ciclo temático do Cineclube Alma, que anteriormente exibiu filmes do Cinema Novo e do Cinema de Vanguarda. Conforme Maran, o Cinema Marginal teve seu início no auge da ditadura militar, e tem como características principais a desesperança, a precariedade de custeamento dos filmes e o pessimismo em relação ao futuro por conta da repressão social e política.

Leia mais:

Imagem de destaque
Superdotado

Menino gênio é recebido pela família em Londrina após ganhar medalha em Nova Iorque

Imagem de destaque
Bebida e um prato por R$22

Londrina recebe o festival gastronômico Brasil Coffee Week

Imagem de destaque
Zona Sul

Londrina: Motociclista foi morto no Alphaville por condenar criminalidade, diz polícia

Imagem de destaque
Campeonato Brasileiro

Londrina EC vai em busca da reabilitação no estádio do Café


“O Cinema Marginal é denominado assim por causa do filme ‘A Margem’, de Ozualdo Candeias, que é uma figura importantíssima para entender esse movimento. Outro expoente é o Jairo Ferreira, que idealizou aquilo que chamou de Cinema de Invenção, mas que tem as mesmas características. São filmes que fazem referência ao Cinema Novo, mas apresentam um experimentalismo estético radical e muito forte, abordando personagens que são anti-heróis e estão à margem da sociedade”, afirmou.

Publicidade


O coordenador-geral do cineclube, Yan Maran, explicou que “O Despertar da Besta” foi escolhido principalmente por ser uma obra de Zé do Caixão, um importante representante tanto do Cinema Marginal quanto do cinema independente brasileiro. “Nesse filme, a gente vê um experimentalismo estético muito forte, inclusive sonoro e musical, refletindo o início do Tropicalismo. É uma obra importante para quem quer estudar o Cinema Marginal, junto com ‘O Bandido da Luz Vermelha’, que já exibimos, e o ‘Vampiro da Cinemateca’, que vamos passar na semana que vem”, destacou.


Imagem
Aumento salarial da GM em Londrina deve ser analisado por comissões e votado nesta quinta
As comissões permanentes da CML (Câmara Municipal de Londrina) vão se manifestar nesta quinta-feira (13) sobre os PLs (Projetos de


Maran disse ainda que, para viabilizar a exibição de todos os filmes que integram o Cineclube Alma, os responsáveis precisam entrar em contato previamente com os detentores dos direitos autorais das obras. Ele frisou que isso é obrigatório por lei e muito importante porque mantém um controle que permite ao autor saber onde o filme está sendo exibido, e se quem o exibe está tendo lucro com isso.

Publicidade


“Além disso, é uma forma de garantir a qualidade da cópia exibida, porque ou o detentor dos direitos disponibiliza o filme oficialmente ou quem solicita deve ter uma cópia de qualidade. A maioria dos detentores com quem conversamos são familiares dos autores, e eles liberaram os filmes de forma gratuita para nós. É muito bacana ver como essas pessoas estão tendo o cuidado com a obra de seus familiares, e todos elas parabenizaram o projeto e ficaram felizes por a gente estar fazendo esse resgate”.


Ainda segundo o coordenador-geral do cineclube, o balanço do projeto é muito positivo até o momento. “Já trouxemos vários filmes importantes e a gente tem feito um recorte temático muito legal. O público tem comparecido, e a participação das pessoas tem sido sensacional. Nossos debates têm sido muito legais, e estou muito feliz com o projeto”, concluiu.

Publicidade


Após a exibição do filme, como nas sessões anteriores, haverá um debate mediado pelo coordenador-geral do Cineclube Alma, Yan Maran, e pelo produtor-executivo do projeto, Abílio Perez. Nessa semana, o cineclube terá a participação especial do fotógrafo e documentarista Luciano Pascoal, que durante o bate-papo vai falar um pouco sobre a sua história e paixão pela obra do diretor José Mojica Marins.


Publicidade

PRÓXIMOS EVENTOS


Publicidade

O Cineclube Alma exibirá mais dois filmes do Cinema Marginal, nos dias 19 e 26 de junho. Na sequência, o quarto e último ciclo do projeto em 2024, também composto por quatro filmes exibidos às quintas-feiras, terá como tema o Cinema Indiano.


Publicidade

Essa temática foi selecionada, entre outras razões, porque o produtor-executivo do projeto, Abílio Perez, realizou parte de seus estudos de doutorado na Índia, tendo feito pesquisas sobre a arte cinematográfica daquele país, em conexão com outros tópicos.


Perez ressaltou que a cinematografia indiana, apesar de desconhecida nos territórios dominados pela indústria de Hollywood, é a maior do mundo, tanto em número de produções por ano quanto em número de tíquetes vendidos nos cinemas.


“Essa produção, além de abundante, é variada. Abarca filmes de arte, comerciais ou alternativos, bem como apresenta variações regionais relevantes, com diferenciações estéticas, de circuitos de exibição, e no diálogo estabelecido com outras expressões artísticas, como a literatura, a música, o teatro e as artes visuais. O pouco conhecimento dessa filmografia no Ocidente reflete tanto a hegemonia do interesse da indústria norte-americana quanto o eurocentrismo da crítica especializada, ambas convergindo para uma das diversas estruturas de persistência das relações históricas coloniais”, realçou.


De acordo com ele, a programação do Cineclube Alma forma uma visão panorâmica da história do cinema, abrangendo produções de diferentes movimentos, períodos históricos e nacionalidades. “Avaliamos isso como muito apropriado para o reinício do cineclube, pois essa visão panorâmica serve de embasamento para a compreensão e análise de outras filmografias, em eventuais ciclos futuros”, concluiu.


Imagem
Gaeco faz Operação Antártida contra agentes públicos que beneficiavam presos em Londrina
operação Antártida, com o cumprimento de 19 mandados de busca e apreensão e duas imposições de medidas cautelares diversas da prisão em investigação sobre o possível envolvimento de dois agentes públicos na concessão de benefícios indevidos a presos em cu
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade