Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Superpopulação

Sema faz teste de repelente natural para manejo de pombos no Bosque Central de Londrina

Walkiria Vieira - Grupo Folha de Londrina
07 jul 2023 às 20:03
- Gustavo Carneiro/Grupo Folha de Londrina
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

A superpopulação de pombos é uma realidade em Londrina. Nesta sexta (7), a Sema (Secretaria Municipal do Ambiente) iniciou a aplicação de repelente natural no Bosque Central para tentar reduzir o problema. De acordo com o biólogo e gerente de biodiversidade da pasta, Jonas Pugina, trata-se de um repelente tópico de aplicação no local de pouso das pombas. "A expectativa é que a combinação pegajosidade e cheiro do produto impeçam que o pombo se sente nesse galho ", explica.


Aplicado no topo de uma paineira, o produto biológico tem uma fragrância adocicada, que se assemelha ao cheiro de uva. Para realizar o teste, foi preciso o apoio de um guindaste para que o biólogo fosse posicionado a 20 metros de altura. O objetivo do teste, segundo Pugina, é realizar o manejos das aves em excesso que causam desequilíbrio ambiental. "O excesso de dejeção e a sujidade são visíveis e há um esforço permanente para a manutenção do local", reconhece.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


A operação chamou a atenção de moradores e de quem passava pela avenida São Paulo como a londrinense Irani Gerâncio da Silva, 64 anos. "Tomara que dê certo porque diz respeito à saúde das pessoas que moram, trabalham ou simplesmente passam por aqui, porque além da sujeira é um cheiro muito forte. Eu sei de um profissional que fazia limpeza aqui que ficou doente porque varria em volta das ruas dos bosques. Ficou muito doente", conta.

Leia mais:

Imagem de destaque
Estreia nesta quinta

Treinador londrinense participa da 3ª temporada de 'Largados e Pelados'

Imagem de destaque
Grupo oficial

Comunidade de caçadores de pokemons segue na ativa em Londrina

Imagem de destaque
No Centro

Prefeitura de Londrina pede que investidor preserve chaminé da década de 30

Imagem de destaque
Refeição completa

Confira o cardápio do Restaurante Popular de Londrina para esta terça-feira


O cuidador de idosos Henrique Nogueira, 27 anos, também apoia trabalho. "O meu paciente tem 90 anos, gosta dos passeios, mas o tempo é reduzido por sabemos que esse mau cheiro é propício a doenças. Embora a revitalização tenha melhorado alguns aspectos, essa é uma tentativa que deve ser feita mesmo porque é necessária", pensa. "Infelizmente os bancos estão sempre sujos, assim como o passeio do bosque, sendo algumas partes impossíveis de serem acessadas", aponta.


De acordo com Pugina, os trabalhos realizados até agora permitem compreender onde as pombas pousam e dorme. "Só pousam e dormem. Não fazem ninhos e nem se alimentam aqui", esclarece. "Essa paineira é um exemplo, pois está sem folhas. Esse teste de microescala será importante para avaliar a funcionalidade e a efetividade do material. Depois dos testes serão feitos novos estudos para então comprovar se foi efetivo ou não e só na sequência poderemos afirmar se é efetivo para uma ampla aplicação", pondera.


O biólogo salienta que outras ações permanentes como a limpeza e manutenção das árvores, o aumento da iluminação e a aplicação de outros produtos favorecem o trabalho. "Sozinho o teste não irá resolver." Ele recorda as tentativas anteriores: "repelência pela iluminação, produto natural biológico, redução de árvores exóticas e poda de árvores para redução de pontos de pouso, diminuição e adensamento das árvores para aumentar ventilação e ondas sonoras", enumera.


Imagem
Mais de 700 bueiros aguardam limpeza em Londrina; serviço é terceirizado desde 2019
De acordo com a CMTU, 770 bueiros ainda aguardam limpeza em Londrina. O serviço é terceirizado desde 2019
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade