Pesquisar

Canais

Serviços

Sistema prisional

Terceirização no Deppen prevê a incorporação de 635 agentes na região de Londrina

- Gustavo Carneiro/Grupo Folha
Vítor Ogawa - Grupo Folha
28 jun 2022 às 07:21
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade

A decisão do juiz de Direito da VEP (Vara de Execuções Penais e Corregedoria dos Presídios da Comarca da Região Metropolitana de Londrina), Katsujo Nakadomari, de interditar parcialmente o Creslon (Centro de Reintegração Social de Londrina), apontou que há déficit de vagas para os detentos na região. Para superar essa deficiência, será preciso construir novas vagas e contar com mais profissionais. O Deppen  (Departamento de Polícia Penal do Estado do Paraná) precisará contratar 635 agentes para atender a região.

Continua depois da publicidade


O coordenador da 4º Região Administrativa Londrina do  Deppen, Reginaldo Peixoto, afirmou que a superlotação só será resolvida com a edificação de uma nova unidade prisional em Ribeirão do Pinhal (Norte Pioneiro), uma vez que de 75% a 80% dos detentos do Creslon são de fora de Londrina.


“Acredito que vamos resolver aí praticamente 90% da dos problemas de lotação daquela região. Existe uma previsão já em processo de licitação dos projetos dessa unidade nova”, apontou. Ele explicou que o Creslon foi criado para atender somente Londrina e que a migração da custódia de presos da Polícia Civil para o Deppen acabou gerando desequilíbrio, já que hoje o Creslon atende 70 municípios.   


Saiba mais na Folha de Londrina.

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade