Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Presa na última quinta

Vanda Pepiliasco deixa prisão após defesa conseguir novo habeas corpus

Fernanda Circhia - Redação Bonde
06 dez 2016 às 17:03
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Presa na última quinta-feira (1º), em Cuiabá (MT), Vanda Pepiliasco consegue habeas corpus novamente e deixa a prisão, onde ocupava uma sela especial, nesta terça-feira (6). A decisão foi publicada na segunda-feira (5).

O habeas corpus foi impetrado pelos advogados Walter Barbosa Bittar, Rafael Junior Soares, Luiz Antônio Borri e Lucas Andrey Battini, contra a decisão da juíza da 1ª Vara Criminal, Elizabeth Khater, que havia determinado pela segunda vez a execução provisória de pena, diferente da decisão proferida em habeas corpus em julho deste ano, pelo Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR).

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


"Em face do exposto, pleiteiam, em sede de liminar, a revogação da prisão da paciente com a suspensão da execução provisória da pena e a expedição de alvará de soltura. Ao final, buscam a confirmação da liminar com a concessão da ordem de habeas corpus em definitivo. 2. Pretendem os impetrantes a concessão liminar da ordem de habeas corpus com a revogação da prisão da paciente e a expedição de alvará de soltura, alegando para tanto que a decisão da magistrada a quo, determinando, pela segunda vez, a execução provisória da pena, afronta deliberação deste Tribunal de Justiça proferida no Habeas Corpus nº 1.562.809-0", escreveram os advogados no documento.

Leia mais:

Imagem de destaque
ZONA OESTE

Viadutos próximos da UEL devem receber iluminação por LED até a próxima semana

Imagem de destaque
NESTA QUINTA-FEIRA

Prefeitura promove audiência pública para debater área de expansão urbana de Londrina

Imagem de destaque
PARA ATUAR COMO TUTORES OU SUPERVISORES

UEL seleciona profissionais e docentes para o Projeto Mais Médicos para o Brasil

Imagem de destaque
INSCRIÇÕES VÃO ATÉ 15 DE MARÇO

Piscicultores já podem se inscrever para a 30ª Feira do Peixe Vivo de Londrina


Entenda o caso

Publicidade


Vanda foi condenada pela morte da empregada Cleonice Fátima Rosa, à época com 22 anos, em um apartamento na rua Goiás, região central de Londrina. O caso ocorreu em 10 de julho de 1993.


A artista plástica foi a júri popular em maio de 2015. Na ocasião, o Ministério Público e a defesa recorreram e sua pena foi revisada pelo Tribunal de Justiça. Inicialmente, foi condenada em oito anos e seis meses de prisão a ser cumprida em regime inicial fechado.


"Desta decisão tanto a defesa quanto a acusação interpuseram recurso de apelação, tendo o Tribunal de Justiça dado parcial provimento aos apelos, readequando e reduzindo a pena para 08 (oito) anos e 04 (quatro) meses de reclusão, mantendo o regime inicial fechado", diz o processo. Mas no final de mês de julho, o advogado de Vanda, Walter Bittar, conseguiu um habeas corpus.

Na última quinta, o promotor responsável pelo caso, Ricardo Alves Domingues, afirmou que o novo mandado de prisão foi expedido por causa do novo entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) em relação às prisões de condenados em segunda instância.


Receba notícias do Bonde no Whatsapp/Telegram e fique por dentro de tudo!
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade