Pesquisar

Canais

Serviços

O tomate lidera o aumento de preços entre os produtos da cesta - Arquivo Folha News
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Economia

Cesta básica sobe 1,33% na capital paranaense

Simone Albieri - Folha News
05 abr 2005 às 16:04
Continua depois da publicidade

Os produtos que compõem a cesta básica em Curitiba fecharam o mês de março com alta de 1,33%. Foi o terceiro mês consecutivo de alta. Dos 13 itens básicos, apenas dois tiveram queda no preço.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

No primeiro trimestre, a cesta básica subiu 6,68% e, nos 12 meses, 7,70%. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos, regional Paraná (Dieese-PR).

Continua depois da publicidade


A alta em março só não foi maior por conta da carne e do pão, que registraram redução dos preços: -2,78% e -1,53%, respectivamente. Se o preço da carne tivesse permanecido estável, a cesta teria aumentado 2,55% e não 1,33%.


Tiveram aumento de preços o tomate (9,92%), a banana (8,63%), arroz (6,96%), açúcar (6,03%), leite (5,13%), feijão (3,20%), batata (2,55%), óleo de soja (2,09%), café (2,01%), manteiga (1,54%) e farinha de trigo (1,11%).


A colheita do tomate atrasou. Em São Paulo e Minas Gerais problemas climáticos afetaram a oferta, fato que contribuiu para o aumento do preço.

Continua depois da publicidade


Curitiba ocupa a quinta posição entre as cestas mais caras do País (R$ 166,32), atrás apenas de São Paulo (R$ 175,87), Porto Alegre (R$ 175,64), Brasília (R$ 167,29) e Rio de Janeiro (R$ 167,02). A cesta mais barata foi a de Fortaleza (R$ 127,42).

Para uma família curitibana formada por um casal e dois filhos, o custo da alimentação em março foi de R$ 498,96. Com isso, o salário mínimo necessário para atender necessidades vitais básicas como moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, deveria ser de R$ 1.477,49, o que corresponde a 5,68 salários mínimos atuais.


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade