Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Cheia

Famílias são removidas após Tibagi transbordar na região de Londrina

Auber Silva - Redação Bonde
24 nov 2015 às 17:39
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Cinco famílias da vila Frederico Lucarevisk, em Jataizinho (Região Metropolitana de Londrina) foram removidas de suas residências na tarde desta terça-feira (24) por causa da chuva que caiu sobre a cidade entre segunda (25) e a manhã de hoje. De acordo com a Defesa Civil local, foram mais de 95 milímetros, o que levou o Tibagi a transbordar: o rio está a 3,5 metros acima do nível normal.

Parte dos moradores removidos foi encaminhada a um abrigo providenciado pela Defesa Civil. Algumas pessoas preferiram se refugir na casa de familiares. "Seguimos em estado de monitoramento e estamos com barcos posicionados nas proximidades das regiões mais afetadas da cidade. Temos informações de que deve chover mais 100 milímetros entre a noite desta terça e quarta", afirma o secretário-executivo da Defesa Civil de Jataizinho, Rodolfo Brandão. Caso a expectativa se confirme, o município deverá entrar em estado de alerta.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Leia mais:

Imagem de destaque
Decisão do TCE

Ex-servidores de Bandeirantes deverão restituir R$ 11,5 milhões desviados

Imagem de destaque
Agroturismo

Em dois anos, Rota da Lavanda recebeu 152 mil turistas e movimentou R$ 7 milhões

Imagem de destaque
Veja os locais!

Paraná tem mais de 7.100 quilombolas morando em 68 localidades

Imagem de destaque
2.804 vagas em Londrina

Agências do Trabalhador do Paraná começam a semana com quase 22 mil vagas


A água também ameaça um conjunto de pelo menos 20 chácaras localizadas às margens do rio Jataizinho, afluente do Tibagi que corta a cidade. A ponte que leva à vila Frederico Lucarevisk está interditada, assim como a rua Paraná, que liga o centro de Jataizinho ao Conjunto Habitacional Octaviano Heraclio Duarte.


A defluência média do Tibagi é de 700 metros cúbicos, mas atualmente o rio está desaguando 1,9 mil metros cúbicos. Além da chuva, o aumento da vazão nas usinas hidrelétricas da Copel, que está quatro vezes maior que o normal, também contribuiu para a cheia.

Tanto a Defesa Civil quanto o Corpo de Bombeiros permanecem acompanhando a situação e auxiliando as famílias afetadas. O telefone para emergências é o 3259-1250.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade