Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Corinthians

À polícia, vice diz que avisou Augusto sobre 'laranja' há mais de um mês

Livia Camillo - UOL/Folhapress
12 jun 2024 às 15:53
- Reprodução/Corinthians TV
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Em depoimento à polícia, Armando Mendonça, 2º vice-presidente do Corinthians, disse que avisou o presidente Augusto Melo sobre o repasse da comissão da Vai de Bet à empresa "laranja" há mais de um mês.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Leia mais:

Imagem de destaque
Com 11,3 Kg de Maconha

Homem que transportava drogas no interior da mala é preso em Rolândia

Imagem de destaque
Vingança

Quatro membros de uma mesma família são presos por homicídio no Noroeste do PR

Imagem de destaque
Corpo foi localizado na terça

Quatro homens são presos por homicídio e ocultação de cadáver no Noroeste do PR

Imagem de destaque
Novas evidências

Polícia investiga incêndio em restaurante como estelionato; proprietário nega envolvimento

Mendonça foi intimado a comparecer à Drade (Delegacia de Polícia de Repressão aos Delitos de Intolerância Esportiva), após ser citado em uma queixa-crime movida por Sérgio Moura, superintendente de marketing que pediu afastamento em 23 de maio.

Publicidade


No depoimento, o vice-presidente revela que foi procurado pelo jornalista Juca Kfouri, do UOL, que denunciou os repasses à "laranja", no início do mês passado, e, em seguida, informou Augusto Melo. Toda a denúncia foi repassada ao presidente no dia 8 de maio.


O vice confirmou ao UOL o que disse à polícia e ressaltou que Augusto não deu atenção ao assunto.

Publicidade


Ele [Augusto] recebeu minha informação com total insignificância. Não se importou e nem deu atenção para as minhas sugestões e preocupações. Armando Mendonça, vice-presidente do Corinthians, ao UOL
Mendonça afirma ter orientado o mandatário a iniciar imediatamente um procedimento interno de averiguação, além de suspender os pagamentos para a empresa intermediadora e solicitar a instauração de um inquérito policial.


Quando a reportagem foi publicada, Augusto foi orientado pela própria Ernst & Young, empresa que presta consultoria ao Corinthians, a afastar as pessoas do clube citadas no caso. Sérgio Moura e Marcelo Mariano, diretor administrativo, são apontados como os pivôs do caso.

Publicidade


A E&Y, bem como os antigos diretores jurídicos, sugeriram o afastamento de todos os envolvidos para a lisura da investigação, pois esse é o procedimento correto nesses casos, respeitando o princípio da presunção de inocência. O presidente não acolheu nenhum dos afastamentos, pois o Sérgio Moura quem pediu licença, e o Marcelo continua no cargo. Armando Mendonça


O QUE MENDONÇA DISSE EM DEPOIMENTO

Publicidade


"No dia 8 de maio, informei ao presidente Augusto Melo que a empresa intermediadora do nosso patrocínio máster à época (Vai de Bet), a Rede Social Media, de São José dos Campos, recebeu um valor de patrocínio e que o dinheiro estava sendo desviado para uma conta de uma pessoa física, que é sócia de uma [empresa] 'laranja'.


Isso era de se causar estranheza e muita preocupação, sendo que o clube deveria interromper imediatamente qualquer pagamento para essa Rede Social Media [contrato intermediado por Alex 'Cassundé'], até que tudo fosse auditado minuciosamente. E que isso poderia causar um grande dano financeiro ao Corinthians e estaria 'abastecendo' outra considerada 'fantasma', ou seja, transformando um dinheiro lícito em ilícito.

Publicidade


Dito tudo isso para o presidente, ele preferiu, naquela oportunidade, não seguir com nenhuma das minhas sugestões e recomendações - nem a paralisação de pagamentos, nem pedido de instauração de inquérito policial e nem apuração interna com o afastamento dos citados (Sergio Moura e Marcelo Mariano), com a alegação de que essa questão (eventual pagamento de empresa de 'laranja') era um problema exclusivo da empresa intermediadora Rede Social e não do SCCP.


Já no dia 9 de maio, fui ter uma simples conversa com Sérgio Moura, que era o responsável pelo departamento e poderia aclarar dúvidas que eu tinha. Ainda, pelo relacionamento que era publicado na imprensa entre Alex Cassundé e Sérgio Moura, tive o cuidado de perguntar se era verdade da relação, que a imprensa divulgava entre ele e o sócio da empresa Rede Social. Ele confirmou.

Publicidade


Ainda aproveitei para perguntar se existia qualquer troca de mensagens, mesmo que de WhatsApp, ou contrato etc., com a empresa desse Alex, na época do fechamento da negociação da intermediação, que pudesse pôr fim a toda especulação envolvendo o intermediário. Ele me disse que, infelizmente, achava que não tinha nenhuma troca de mensagens ou contrato", dizem trechos retirados do depoimento de Armando Mendonça à polícia.


O CASO VAI DE BET


Em janeiro 2024, o Corinthians anunciou o maior acordo de publicidade da história do futebol sul-americano com a Vai de Bet: R$ 370 milhões (incluindo as luvas) e divididos em três anos.


Fontes ouvidas pelo UOL afirmam que, inicialmente, o presidente Augusto Melo apontou que toda negociação teria sido conduzida por ele e por Marcelo Mariano, atual diretor administrativo do clube.
Após o acordo firmado, Alex Cassundé, sócio da Rede Social Media Design, teria surgido como uma das partes envolvidas na negociação. Cassundé foi indicado por Sérgio Moura para integrar o time de comunicação que trabalhou na campanha eleitoral de Augusto Melo.


Em maio, Juca Kfouri revelou que a empresa de Cassundé recebeu dois pagamentos de R$ 700 mil do Corinthians em um espaço de três dias - R$ 1,4 milhão no total - e fez repasses a uma empresa "laranja".
A repercussão negativa culminou na rescisão do contrato da Vai de Bet, que acionou a cláusula anticorrupção para romper o acordo com o clube.


Imagem
Corinthians se espelha no Real Madrid por reformulação
Presidente do Corinthians cita Real e Barcelona em reformulação
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade