Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Atos antidemocráticos

Alexandre de Moraes aceita denúncia contra outros 200 suspeitos de vandalismo em Brasília

Agência Brasil
25 abr 2023 às 11:12
- Joedson Alves/Agência Brasil
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O STF (Supremo Tribunal Federal) iniciou nesta segunda-feira (25) o julgamento de mais 200 envolvidos nos atos golpistas de 8 de janeiro. Na ocasião, vândalos depredaram as sedes do Supremo Tribunal Federal (STF), o Congresso e o Palácio do Planalto. Primeiro a votar, o ministro Alexandre de Moraes decidiu pelo recebimento das denúncias da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra os acusados.


A votação começou à meia-noite e vai até às 23h59 da próxima terça-feira (2). Na modalidade virtual, os ministros depositam os votos de forma eletrônica e não há deliberação presencial.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Com a divulgação do voto do ministro, que é relator das denúncias, os demais nove ministros da Corte também podem começar a votar. Se a maioria aceitar a denúncia, os acusados passarão a responder a uma ação penal e se tornam réus no processo. Em seguida, o ministro deverá analisar a manutenção da prisão dos acusados que ainda permanecem detidos.

Leia mais:

Imagem de destaque
Segundo a Polícia Federal

Grupo criminoso faturou R$ 100 mi com golpe de critomoedas no PR e SC

Imagem de destaque
Sequestrada em Curitiba

Polícia Civil localiza no Paraguai criança de 7 anos desaparecida desde dezembro

Imagem de destaque
Droga seria entregue em Londrina

Polícia Rodoviária Federal apreende 45 quilos de cocaína em Arapongas

Imagem de destaque
11 mandados de prisão

Polícia Civil desmantela quadrilha acusada de traficar animais silvestres no Paraná e em Santa Catarina


Em função de aposentadoria de Ricardo Lewandowski, a Corte não conta com o voto do 11° ministro. 

Publicidade


Em votação já encerrada, a Corte aceitou denúncia contra 100 investigados pela participação nos atos.


Presos


Conforme levantamento do STF, das 1,4 mil pessoas que foram presas no dia dos ataques, 294 (86 mulheres e 208 homens) continuam no sistema penitenciário do Distrito Federal. Os demais foram soltos por não representarem mais riscos à sociedade e às investigações.

Publicidade

Últimas notícias

Publicidade