Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Exigências

Câmara aprova PL que exige oferta de serviço para rastrear pets em voos após morte do cão Joca

Victoria Azevedo - Folhapress
09 mai 2024 às 09:14
- Reprodução/Instagram
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (8) um projeto de lei que exige que as empresas aéreas ofereçam o serviço de rastreamento de animais de estimação (cães e gatos) por elas transportadas em voos domésticos.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Leia mais:

Imagem de destaque
Greve há mais de dois meses

Lula diz que grevistas 'têm que entender que estamos apenas há um ano e seis meses no governo'

Imagem de destaque
Lesa Pátria

PF faz operação e mira financiadores do 8/1 e envolvidos em bloqueios de estradas

Imagem de destaque
Entenda

No Senado, CCJ aprova projeto de lei que libera cassino e bingo no Brasil

Imagem de destaque
Desde 2015

Julgamento sobre porte de maconha volta à pauta do STF com 5 votos pela descriminalização

O projeto foi aprovado de forma simbólica (quando não há a contabilização de votos) e com orientação favorável de todos os partidos. O texto segue para o Senado.

Publicidade


A matéria é de autoria dos deputados petistas Alencar Santana (SP), Odair Cunha (MG), líder da sigla na Casa, e Carlos Veras (PE), e foi apresentado em 2022.


O texto foi aprovado na esteira da comoção causada pela morte de um cachorro da raça golden retriever, Joca, em abril. Ele morreu após ter sido enviado para o destino errado num voo da Gol Linhas Aéreas.

Publicidade


A morte do cachorro fez com que membros do governo federal cobrassem explicações da companhia aérea –o Ministério de Portos e Aeroportos e a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) vão investigar o caso. O próprio presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) cobrou explicações da Gol, afirmando que a aérea teria que "prestar contas" sobre o episódio.


O texto original dizia que as aéreas seriam obrigadas a realizar o rastreamento, mas a matéria foi modificada pelo relator, Fred Costa (PRD-MG), e a versão aprovada pelos deputados determina que as empresas são obrigadas a oferecer o serviço.

Publicidade


A proposta diz que o rastreamento deverá ser realizado durante todo o trajeto da viagem, até o momento da entrega do animal ao tutor, ressalvadas "restrições técnicas que impossibilitem o serviço". Esse rastreamento configurará contrato acessório oferecido pelo transportador (e poderá ser realizado pelo próprio tutor do animal transportado).


O texto diz que as empresas poderão se negar a realizar o transporte dos animais em caso de "risco à saúde do animal, de segurança e de restrições operacionais".

Publicidade


Além disso, os aeroportos com operação anual superior a 600 mil passageiros deverão dispor de médico-veterinário para acompanhar todos os procedimentos –do embarque ao desembarque do animal.


Joca tinha 4 anos de idade e viajaria de São Paulo (Aeroporto de Guarulhos) para Sinop, em Mato Grosso, junto do seu tutor, João Fantazzini. Por ser um cachorro de 47 kg e de grande porte, não pode ir embaixo do assento à frente e precisou ser despachado numa caixa adequada, indo no porão junto às malas dos passageiros.


Ao chegar em Mato Grosso, porém, João foi informado de que o seu cachorro não havia viajado no mesmo voo que ele e estava em Fortaleza, cidade 2.082 km distante. O animal foi enviado de volta a Guarulhos, e o tutor também viajou de volta para reencontrar o cão. Ao chegar a São Paulo, porém, João encontrou Joca morto.


Imagem
Família tutora fala em 'luta' após morte do cão Joca: 'Jamais iremos parar'
A família tutora do cão Joca, morto enquanto era transportado de avião pela Gol, na segunda-feira (22), publicou carta aberta nas redes sociais em homenagem ao animal e cita palavras como "luta e missão" a partir de agora.
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade