Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Saiba mais

Michelle usa frase de Janja para ironizar operação da PF contra Bolsonaro

UOL/Folhapress
08 fev 2024 às 11:45
- Reprodução/ Instagram
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Michelle Bolsonaro ironizou a operação da PF deflagrada nesta quinta-feira (8) contra Jair Bolsonaro (PL) e aliados usando uma frase que Janja citou anteriormente.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Leia mais:

Imagem de destaque
Agora SPVAT

Deputados estaduais de Londrina discordam sobre retorno do DPVAT

Imagem de destaque
'Bluesky'

Lula adere a rede rival de Musk após movimento da esquerda contra X

Imagem de destaque
Briga de engravatados

Após ser chamado de ‘incompetente’ na ExpoLondrina, ministro de Lula reage

Imagem de destaque
Entenda

STF forma maioria para ampliar foro especial, mas Mendonça interrompe julgamento

A primeira-dama Rosângela da Silva, a Janja, disse à militância do PT no final do ano passado que "se tudo der certo, logo Bolsonaro vai estar preso". A afirmação aconteceu em uma mesa na Conferência Eleitoral e Programa de Governo, em Brasília.

Publicidade


Michelle resgatou a frase de Janja para ironizar a operação contra o marido. A publicação foi feita em suas redes sociais horas depois do início dos trabalhos da PF: ''Se tudo der certo...Se lembram? Pois bem...''.


O filho Eduardo Bolsonaro também criticou o STF e a operação. Segundo ele, a Política no Brasil tem sido feita e decidida no STF. O deputado também sugeriu uma suposta perseguição política.

Publicidade


A OPERAÇÃO DE HOJE


Jair Bolsonaro é alvo de busca e apreensão. O mandado foi autorizado pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF.


Os agentes foram até a casa de Bolsonaro em Angra dos Reis (RJ) para recolher seu passaporte. Como o documento não estava no local, foi dado o prazo de 24 horas para a entrega.


A PF também apreendeu o celular de Tércio Arnauld Thomaz, ex-assessor do ex-presidente. Ele estava em Angra com Bolsonaro.


Imagem
Bolsonaro pediu alteração em minuta do golpe, que previa prisão de Moraes, diz PF
A decisão do ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), que autorizou as prisões e buscas nesta quinta-feira (8) afirma que o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) teve acesso e pediu modificações na chamada "minuta do golpe", mantendo a
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade