Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Em Cambé

‘Não é nenhuma novidade’, comenta Ratinho Jr. sobre terceirização em escolas

Douglas Kuspiosz - Grupo Folha
23 mai 2024 às 16:26
- Geraldo Bubniak/AEN
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O governador Ratinho Junior (PSD) negou nesta quinta-feira (23) que pretende privatizar parte das escolas públicas no estado. O chefe do Executivo estadual se referiu ao projeto do governo que pretende terceirizar serviços administrativos e de manutenção de 200 escolas estaduais. O texto deve ser encaminhado na próxima semana para a Alep (Assembleia Legislativa do Paraná), mantendo a iniciativa que já ocorre em duas unidades de ensino.


A afirmação foi feita durante visita a Cambé (Região Metropolitana de Londrina) para o anúncio de obras no município. De acordo com o governador, o intuito é tirar a sobrecarga do trabalho dos diretores.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


O governador afirmou que a proposta “não é nenhuma novidade” e que as unidades que já fazem parte do projeto Parceria da Escola “tiveram uma transformação fantástica”. Ele negou que seja uma privatização, argumentando que o intuito é tirar a sobrecarga do trabalho dos diretores.

Leia mais:

Imagem de destaque
Por unanimidade

STF torna irmãos Brazão réus pelos assassinatos de Marielle Franco e Anderson Gomes

Imagem de destaque
Câmara de vereadores

Comissão de Justiça dá sinal verde para projeto de compra de sede da Guarda Municipal de Londrina

Imagem de destaque
Nova pesquisa

Se mantendo estável, aprovação de Lula chega a 36%, mostra Datafolha

Imagem de destaque
Supostas irregularidades

Deputado protocola impeachment de Ratinho Junior nesta terça; líder do governo chama pedido de 'esdrúxulo'


“Hoje [o diretor] fica numa pilha de documentos resolvendo a questão administrativa interna em vez de estar cuidando da parte pedagógica. Nós estamos fazendo uma facilitação para o nosso diretor, para os nossos professores, professores que continuam sendo do Estado, os pedagogos continuam sendo do Estado, o diretor continua sendo do Estado”, pontuou.

Publicidade


Ratinho também reclamou dos críticos, dizendo que quem se posiciona contra a proposta “são os mesmos que criticam a [escola] cívico-militar, os mesmos que criticam a escola em tempo integral, os mesmos que ficaram 30 anos sem fazer nada, e agora que colocamos a melhor educação do Brasil, continuam querendo criticar”.


“Então, nós vamos enfrentá-los, porque nós estamos conscientes daquilo que é bom para a educação do Paraná e a prova é que a melhor educação do Brasil é nossa”, completou.


A direção da APP-Sindicato (Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná) se posicionou contra o projeto, dizendo que o governo “quer acabar com a escola pública no Paraná” e que, na prática, “representa a privatização e o fim da escola pública”. A categoria deverá se reunir em assembleia extraordinária no sábado (25) para debater pautas financeiras não cumpridas pelo governo e decidir estratégias para tentar barrar o projeto.


VEJA O QUE ELE FALOU SOBRE AS UNIVERSIDADES NA FOLHA DE LONDRINA.


Imagem
‘Não é nenhuma novidade’, diz Ratinho sobre terceirização em escolas
O governador disse que as críticas ao projeto são dos ‘mesmos que ficaram 30 anos sem fazer nada’
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade