Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Entenda

Por 9x1, STF decide manter Zambelli ré por perseguição armada

Caíque Alencar e Eduarda Esteves - UOL/Folhapress
25 nov 2023 às 15:02
- Lula Marques/EBC
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O Supremo Tribunal Federal decidiu que manter a deputada federal Carla Zambelli (PL-SP) ré por perseguição armada.


Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade

O STF finalizou a votação do recurso, analisado no plenário virtual, na noite desta sexta-feira (24). Como o ministro Gilmar Mendes é o relator, ele votou primeiro. Os demais ministros tinham até as 23h59 para votar.

Leia mais:

Imagem de destaque
Indicado por Lula

Flávio Dino toma posse como ministro do STF nesta quinta-feira

Imagem de destaque
'não é um político tradicional'

Haddad afirma que fala de Lula sobre Gaza foi grito de socorro

Imagem de destaque
Manifestação na Av. Paulista

Bolsonaro pode ser preso se incitar crime durante ato no domingo na avenida Paulista

Imagem de destaque
Tentativa de golpe

Bolsonaro tem novas derrotas no STF ao tentar afastar Moraes de inquérito e ser dispensado de ir à PF


Além do relator, votaram a favor de manter Zambelli ré: Edson Fachin, Cármen Lúcia, Alexandre de Moraes, Cristiano Zanin, Dias Toffoli, André Mendonça, Luiz Fux e Luís Roberto Barroso. Os ministros não apresentaram voto por escrito contra o recurso da deputada. A parlamentar é ré por perseguição armada em São Paulo na véspera do segundo turno das eleições de 2022.

Publicidade


O único ministro a divergir do voto do relator foi Nunes Marques. Em seu voto por escrito, o ministro declarou que o STF não tem competência para julgar o caso e determinou a remessa dos autos à Justiça comum do estado de São Paulo.


Gilmar Mendes disse que "inexistem" vícios apontados no recurso apresentado pela deputada. "Por mais de uma vez, foi assentada e confirmada a competência deste tribunal para processamento das investigações e da possível ação penal voltada aos fatos narrados pela denúncia", escreveu o ministro.

Publicidade


O relator julgou ser "sem razão" a alegação de que os argumentos da defesa não foram avaliados. "Sem que a defesa prévia tenha apresentado novos fatos, a competência do STF para conhecer do presente pedido condenatório já foi enfrentada", diz.


Procurada pelo UOL, Zambelli disse que o recurso é "uma etapa processual de cunho formal" dos advogados dela. Segundo a deputada, ele "não representa qualquer juízo de valor sobre o caso". "Seguimos confiantes do desfecho favorável final desse processo", acrescentou a parlamentar.

Publicidade


CARLA ZAMBELLI É RÉ DESDE AGOSTO


Publicidade

A deputada federal tenta derrubar decisão que a tornou ré por apontar arma a um homem negro. O caso aconteceu um dia antes do segundo turno das eleições, em São Paulo. Em agosto, o Supremo acolheu denúncia da PGR por 9 votos a 2 contra a deputada. As divergências foram de Nunes Marques e André Mendonça, indicados por Bolsonaro ao STF.


No vídeo, Zambelli atravessa a rua e entra em um bar com uma pistola empunhada. A parlamentar alegou que quis se defender após ter sido agredida e empurrada pelo homem, o jornalista Luan Araújo. Imagens do momento da confusão, no entanto, mostram que isso não aconteceu. A deputada, na verdade, caiu sozinha.

Gilmar Mendes determinou que a deputada entregasse a pistola que usou para perseguir o homem. Ele atendeu um pedido da PGR (Procuradoria Geral da República). A parlamentar cumpriu a decisão no dia 27 de dezembro.


Imagem
Menos chances de descanso? Veja a lista completa dos feriados de 2024
Será que os brasileiros vão conseguir aproveitar feriados prolongados para garantir aquele descanso merecido em 2024? O novo ano ainda nem chegou, mas diferentemente do que ocorreu em 2023, o próximo ano terá poucos "feriadões".
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade