Pesquisar

Canais

Serviços

O lixo soterrou parte de uma estrada e invadiu uma pequena reserva de mata - Dorico da Silva
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Em Londrina

Aterro desmorona e lixo se espalha por vale

Redação - Folha de Londrina
10 jul 2003 às 19:12
Continua depois da publicidade

Parte do aterro sanitário de Londrina desmoronou nesta quinta-feira, espalhando lixo por mais de 400 metros de um vale e provocando estragos ambientais. Técnicos da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU), órgão público responsável pela manutenção do aterro, estão investigando a possibilidade de ''ação criminosa''.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

O acidente ocorreu perto das 7 horas, quando uma das ''células'' (montes de lixo e entulho que são formados antes de serem nivelados pelas máquinas) acabou desmoronando. O lixo soterrou parte de uma estrada que dá acesso ao fundo do aterro, ultrapassou uma barreira de contenção e chegou a invadir uma pequena reserva de mata no fundo do vale, próximo ao Córrego Piriquito.

Continua depois da publicidade


O presidente da CMTU, Wilson Sella, foi informado do caso no momento em que participava de uma reunião que discutia exatamente a proibição de entulhos. Sella foi até o local e verificou o trabalho dos funcionários, que tentavam reter o material espalhado com dois tratores de esteira.


Acompanhado de um técnico, Sella observou o entupimento de um dos ''drenos'', poços construídos para acumular e encaminhar o líquido resultante da decomposição da matéria orgânica (chorume) até os tanques. ''O que chamou a atenção foi que nunca tivemos um dreno entupido, o que pode evidenciar uma ação criminosa. Felizmente, os lagos (com chorume) não estouraram.'', comentou Sella.


Ele disse que vai solicitar a abertura de inquérito policial para apurar o caso, na tentativa de apontar o verdadeiro motivo que teria provocado o desabamento. ''A chuva é outra forte hipótese, mas teria que chover muito para fazer o estrago que fez'', afirmou o presidente da CMTU, descartando a possibilidade de manutenção deficiente do aterro.

Continua depois da publicidade


Desde 2000, foram investidos cerca de R$ 2,5 milhões na melhoria do aterro sanitário, incluindo as lagoas para o tratamento de chorume implantadas em outubro do ano passado. O local recebe, em média, 350 toneladas de lixo comum e mais de mil toneladas de entulho diariamente.

Um novo espaço, com 25 alqueires e localizado na Colônia Coroados (zona sul), está sendo viabilizado pela prefeitura de Londrina até o segundo semestre do ano que vem, mas receberá somente lixo doméstico. Atualmente, a área está em fase de negociação, embora os agricultores da colônia critiquem o projeto.


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade