Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
História

Farmácias São João dizem concordar com a preservação da chaminé da década de 1930 em Londrina

Redação Bonde
01 mar 2024 às 12:00
- Roberto Custódio
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

A Rede de Farmácias São João informou ao deputado estadual Tercílio Turini (PSD), por meio de um ofício, que concorda com a preservação da chaminé histórica em Londrina, uma construção que remonta à década de 1930.


"Em relação à solicitação de preservação da chaminé da antiga Serralheria e Cerâmica Mortari, esclarecemos que a empresa é a favor da manutenção da referida chaminé, que representa um marco e uma história que deve ser preservada", escreve a empresa no documento.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


No documento, consta, ainda, que a Rede de Farmácias São João teve uma reunião com a Prefeitura de Londrina no dia 25 de fevereiro de 2024, com a presença do chefe de gabinete e do secretário municipal de Obras, para expor a posição da empresa quanto à permanência da chaminé.

Leia mais:

Imagem de destaque
Shows e comidas típicas

Festa rural no distrito de São Luiz em Londrina deve receber milhares de pessoas neste final de semana

Imagem de destaque
Antiga Casa da Mulher

Imóvel abandonado será transformado em creche na zona leste de Londrina

Imagem de destaque
No Espaço Villa Rica

Projeto Ópera Viva promove novo concerto em Londrina neste domingo

Imagem de destaque
Previsão de volta até o fim do dia

Rompimento de cano deixa condomínios da Zona Sul de Londrina sem água


De acordo com o ofício enviado à Alep (Assembleia Legislativa do Paraná), a empresa diz não ser a proprietária do terreno e afirma que deve alugar uma loja do imóvel comercial que será construído por investidores.

Publicidade


"Importante também esclarecer que houve vinculação nas mídias e na comunidade em geral que a obra seria realizada por uma farmácia, com menção à Rede de Farmácias São João. Ocorre que a obra está sendo realizada por investidores e não pela Farmácia São João, sendo esta uma mera locatária da loja", aponta o documento, que foi assinado por Pedro Henrique Kappaun Brair, presidente da Rede.


Imagem
Prefeitura de Londrina pede que investidor preserve chaminé da década de 30
A Prefeitura de Londrina suspendeu por tempo indeterminado a demolição da chaminé da antiga Indústria Mortari, situada no centro de Londrina.


MARCO HISTÓRICO

Publicidade


Na segunda-feira (26), o deputado Turini aprovou na Assembleia Legislativa do Paraná o envio de um expediente à Rede de Farmácias São João. No documento, constava a importância da preservação da chaminé da antiga Serraria e Cerâmica Mortari, por ser um marco histórico, cultural e do desenvolvimento de Londrina.


PREFEITURA DE LONDRINA

Publicidade


A Prefeitura de Londrina suspendeu por tempo indeterminado a demolição da chaminé da antiga Indústria Mortari, situada no centro de Londrina. O imóvel do final dos anos 1930, que tem mais de 4 mil m², vai abrigar uma farmácia e algumas lojas. 


Por ser privado e nunca ter sido tombado, a Secretaria de Cultura de Londrina afirma que a preservação dos traços históricos, como a chaminé e o portal, depende da sensibilidade do proprietário.

Publicidade


Com toda a estrutura já demolida, a única lembrança da serraria e cerâmica da Indústria Mortari que resta “em pé” é a chaminé, que teve parte do seu topo demolida durante a manhã desta segunda-feira (26). O trabalho foi interrompido pelo próprio prefeito Marcelo Belinati (PP), que esteve no local. 


Em post nas redes sociais ele escreveu que "ali está sendo construído um empreendimento comercial importante para o desenvolvimento da cidade. Mas nossa história precisa e deve ser preservada. A história e o futuro devem caminhar juntos, em harmonia”, pontuou.


No final do dia, a prefeitura emitiu nota explicando que "está solicitando ao investidor da área que preserve a chaminé que tem 90 anos e faz parte da história da cidade. Enquanto aguarda a decisão, a suspensão da demolição está mantida".


Imagem
Mara Boca Aberta será investigada por comissão processante na Câmara de Londrina
Onze dos 19 vereadores votaram a favor da abertura da CP (Comissão Processante) contra a vereadora Mara Boca Aberta (sem partido), na sess&atil
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade