Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Um mês

Lágrimas e saudades na missa para Amanda

Redação Bonde
29 nov 2007 às 08:56
Os pais, usando camisetas com a foto da filha, buscam na fé o apoio para vencer a dor - Marcos Zanutto
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

A tradicional missa de meio-dia que acontece às quartas-feiras na Catedral Metropolitana de Londrina teve um sentimento diferente nesta quarta-feira, de saudade e tristeza. A celebração marcou um mês de falecimento da estudante de Educação Física Amanda Rossi, 22 anos. O crime aconteceu no dia 27 de outubro dentro do campus da Universidade Norte do Paraná (Unopar).

Vestidos com camisetas brancas estampadas com uma foto da garota, familiares e amigos não conseguiram conter as lágrimas. ''Estou encontrando forças, mas também choro, como no momento da Eucaristia, durante a missa. Não dá para segurar...'', comentou o pai de Amanda, Luís Carlos Rossi.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Segundo a mãe da estudante, Maria Francisca Rossi, a família busca apoio na fé para conseguir superar este momento de dor e também para continuar firme na esperança de descobrir quem matou a jovem e qual foi o motivo do crime.

Leia mais:

Imagem de destaque
Em fase única

Inscrições para Vestibular 2025 da UEL abrem nesta quinta

Imagem de destaque
Começa nesta quarta

CineKombi leva cinema gratuito para as ruas de Londrina

Imagem de destaque
Operação policial

Bingo clandestino funcionava em galpão com placa de aluga-se no centro de Londrina

Imagem de destaque
Obra cara e atrasada

Após vários contratempos, novo Fórum Criminal de Londrina deve ser concluído em 2025


Compreendendo a dor e a necessidade de apoio, fiéis que participavam da missa uniram-se à família em diversas oportunidades durante a celebração, como no momento em que o estudante Alexsandro Maciel cantou a música ''Amanda, anjo celeste'', que ele mesmo compôs em homenagem à amiga que ele havia conhecido na igreja.

Publicidade


Terminada a missa, dezenas de pessoas fizeram uma caminhada silenciosa até a Concha Acústica (Centro). Estudantes empunhavam faixas pedindo paz. ''Queremos somente a oportunidade de viver'', dizia uma delas.


''Agradeço o apoio de todas as pessoas que rezam com a gente. Mas queremos uma resposta, uma punição para quem cometeu o crime. A justiça do céu está feita, mas queremos que também aconteça a justiça da terra. Não vamos descansar enquanto isso não acontecer'', bradou o pai de Amanda, que também declarou já estar cansado de tanto lutar para que o assassino ou assassina de sua filha não fique impune. Ele espera pela solução do crime para voltar a ''tocar a vida''.

Publicidade


Para a mãe, existe a certeza de que a polícia está trabalhando no caso, mas a falta de informações não permite que ela se tranquilize. O sofrimento persiste a cada dia sem novidades. No coração, Maria Francisca carrega o insistente desejo de saber por qual motivo a sua filha morreu. ''Não desejo nada de mal para quem fez essa maldade com a minha filha, mas preciso saber quem foi e por qual motivo'', disse emocionada.


Pai e mãe compartilham a opinião de que somente uma pessoa que conhecesse muito bem o campus da universidade poderia ter cometido o assassinato. ''Estive lá, fui ao local onde ela foi encontrada morta. É impossível que uma pessoa que não conheça o lugar chegue até lá. E tem outra coisa, a Amanda era uma menina medrosa demais, tinha muito medo do escuro. Ela não iria até lá com qualquer um'', comentou Luís Carlos Rossi.


O casal também disse que já passou todas as informações possíveis para a polícia. ''Muitas notícias chegam até nós, mas nada com fundamento'', explicou o pai.

Folha de Londrina


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade