Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Urbanismo

MP defende despoluição visual em Londrina

Loriane Comeli - Redação Bonde
08 jun 2009 às 17:40
- Folha de Londrina/Arquivo
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

A promotora do Meio Ambiente de Londrina, Solange Vicentin, disse ser favorável à proposta anunciada na semana passada pelo prefeito Barbosa Neto (PDT) de proibir publicidade fora dos estabelecimentos comerciais, como cartazes e outdoors. O projeto Cidade Limpa ainda precisa ser votado na Câmara Municipal e regulamentado.

"Acho que o prefeito fez muito bem em propor esta despoluição visual. É preciso regulamentar o setor. Londrina estava mesmo ficando muito poluída", disse a promotora em entrevista à Rádio Brasil Sul. "É preciso gerenciar o problema antes que se agrave".

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


A justificativa de Barbosa para regulamentar o setor é que muita publicidade, como está ocorrendo em Londrina, desvia a atenção de motoristas e pedestres, podendo causar acidentes, leva as pessoas ao estresse, e ainda esconde a beleza da cidade.

Leia mais:

Imagem de destaque
Patrocínio insuficiente

Associação encerra contrato e FILO 2024 será reagendado para dezembro

Imagem de destaque
"Chuva gerou atrasos"

Reforma do alambrado do Parque Arthur Thomas ganha prazo extra de dois meses

Imagem de destaque
Nesta manhã

Com 5ºC, Londrina registra o dia mais frio do ano nesta quarta-feira

Imagem de destaque
Solidariedade

Rede de mulheres sambistas de Londrina se mobiliza pelo Rio Grande do Sul


Poluição sonora

Publicidade


Solange Vicentin defende ainda ações mais efetivas para conter a poluição sonora em Londrina. Hoje, são muitas as reclamações acerca de estabelecimentos comerciais, principalmente bares, que fazem barulho acima do limite previsto em lei.


Para a promotora, o maior problema é que a legislação municipal é muito branda. "Em São Paulo, por exemplo, não podem funcionar após a uma hora da madrugada os bares que não têm estacionamento e isolamento acústico; lá os templos religiosos são multados em R$ 25 mil se forem objeto de reclamação de barulho", exemplificou. "Londrina também poderia ser exemplo".

Publicidade


Matérias relacionadas:


Barbosa quer proibir outdoors nas ruas de Londrina

Sindicato quer discutir despoluição visual em Londrina


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade