Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Danos às culturas de soja e milho

Prejuízo ao agronegócio gaúcho acende alerta no Paraná

Francielly Azevedo - Especial para a Folha
20 mai 2024 às 08:45
- Reprodução/Canva
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

desastre ambiental que atingiu o Rio Grande do Sul também ligou um alerta no agronegócio paranaense. Segundo o levantamento da CNM (Confederação Nacional de Municípios), divulgado na última sexta-feira (17), os prejuízos no campo causados pelas chuvas já ultrapassam R$ 2,5 bilhões. 


A estimativa é que esse número seja muito maior quando os estragos forem contabilizados, assim que a água baixar.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Conforme um relatório feito pela Emater-RS (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Rio Grande do Sul), os danos mais significativos foram nas culturas de soja e milho. 

Leia mais:

Imagem de destaque
Justiça trabalhista

Empresa é condenada por litigância de má-fé no Paraná ao contestar números que apresentou

Imagem de destaque
Compra de carros

Lances para novo leilão de veículos do Governo do PR são abertos nesta segunda-feira

Imagem de destaque
Carteira assinada

Agências do Trabalhador ofertam 21 mil vagas, maior número do ano

Imagem de destaque
Cultivo de cafés especiais

Cafés especiais do Norte Pioneiro elevam padrão de qualidade e agregam valor na produção


A entidade também aponta perdas na produção de hortifrutigranjeiros e pondera que somente depois da coleta completa de dados é que poderá ter a noção real do rombo financeiro.

Publicidade


A soja e o milho estavam no ciclo final com 76% e 86%, respectivamente, das colheitas finalizadas. A Emater-RS cita que a impossibilidade de seguir com os trabalhos agrava ainda mais a situação e as perdas aumentam diariamente. 


No caso da soja, há a abertura das vagens, a germinação de grãos ou o comprometimento pela proliferação de fungos.

Publicidade


REFLEXÃO


“O avanço provavelmente será pouco significativo nos próximos dias, já que muitas lavouras devem ser abandonadas em razão da inviabilidade econômica, ou seja, a colheita dessas áreas não cobre os custos da operação, o frete e os descontos aplicados no recebimento pelas cerealistas”, analisou a Emater-RS.


Tudo isso tem provocado uma reflexão em produtores do Paraná, de acordo com o presidente da SRP (Sociedade Rural do Paraná), Marcelo Janene El-Kadre. Além de entender como ajudar e agir neste momento, o agronegócio analisa formas de evitar que novos desastres aconteçam.


Leia a reportagem completa na FOLHA DE LONDRINA:


Imagem
Prejuízo ao agro gaúcho acende alerta no Paraná
Desastre ambiental no RS causa prejuízos bilionários no agronegócio. Levantamento da CNM e relatório da Emater-RS detalham danos e perdas.
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade