Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
No X (antigo Twitter)

Milei compartilha mensagens que associam Lula ao Hamas e exaltam ato de Bolsonaro

Guilherme Seto - Folhapress
26 fev 2024 às 13:15
- Reprodução/YouTube
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O presidente da Argentina, Javier Milei, compartilhou neste domingo (25) mensagens no X (antigo Twitter) que exaltam o ato na avenida Paulista promovido pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e seus apoiadores e que associam o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ao grupo terrorista Hamas.


Uma das mensagens compartilhadas por Milei dizia "Lula es pro Hamas. Bolsonaro es pro Israel. Fin" [Lula é pró Hamas. Bolsonaro é pró Israel. Fim].

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade

Outra afirmava que o ato de Bolsonaro foi uma mobilização do povo brasileiro "contra el autoritarismo de Lula y contra el acoso y persecución a la oposición" [contra o autoritarismo de Lula e o acossamento e perseguição da oposição].

Leia mais:

Imagem de destaque
Segunda discussão

Câmara de Londrina aprova espaço para agentes de endemias nas UBSs

Imagem de destaque
Vereadora foi internada na quarta

Juiz concede liminar e suspende audiências da CP que apura denúncia contra Mara Boca Aberta

Imagem de destaque
Decisão polêmica

Professor foi deixado de lado no processo educacional, diz especialista sobre uso do ChatGPT em SP

Imagem de destaque
Entenda

Aval à fundação da Lava Jato entrará no foco do CNJ após divergências sobre Gabriela Hardt

Uma mensagem compartilhada por Milei também descrevia o discurso de Bolsonaro como "um discurso histórico" e em defesa da liberdade.

Publicidade

O presidente argentino também compartilhou mensagem que afirmava que no domingo se definia "el rumbo de la politica en Brasil y la resistencia contra la dictadura de Lula da Silva" [o rumo da política no Brasil e a resistência contra a ditadura de Lula da Silva"].

Uma última mensagem descrevia o ato como "massivo protesto anti-Lula" e mostrava vídeo em que Bolsonaro balançava uma bandeira de Israel, remetendo à crise diplomática gerada pela declaração em que Lula comparou a ação de Israel na Faixa de Gaza à de Adolf Hitler contra os judeus.

Publicidade
Imagem
Declaração de Lula sobre ação militar de Israel dá força a manifestações da extrema direita
A fala do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sobre a ação militar de Israel na Palestina serviu como combustível para a manifestação da oposição neste domingo (25) em São Paulo.


Em agosto do ano passado, antes de vencer as eleições, Milei chegou a dizer que, caso fosse eleito, não manteria relações com o Brasil ou países liderados por "comunistas" e nem se reuniria com Lula após assumir a Casa Rosada. Por diversas vezes, ele também ameaçou um afastamento com outro parceiro estratégico da Argentina, a China.


Em dezembro, o discurso de Milei mudou e ele chegou a convidar para a sua posse o mandatário brasileiro, que acabou apenas enviando o seu chanceler, Mauro Vieira, quebrando uma tradição de quatro décadas. A última vez que presidente ou vice não foi a Buenos Aires ocorreu em 1983.

No começo de fevereiro, o ministro da Economia da Argentina, Luis Caputo, afirmou que conta com o Brasil para ajudar a Argentina a superar a grave crise econômica que o país enfrenta e que a única divergência entre os dois países é no futebol.


Imagem
Ato reúne apoiadores de Bolsonaro na Avenida Paulista, em São Paulo
Apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro se reuniram na tarde deste domingo (25) na Avenida Paulista, em São Paulo.
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade