05/12/20
PUBLICIDADE
Praticidade X Estética

Cama não é tudo igual! Arquiteta explica como escolher o melhor estilo

Leandro Moraes
Leandro Moraes


A cama pode ser considerada o elemento mais importante do quarto. Ela é necessária para nosso descanso, e sua qualidade reflete diretamente em nossa saúde e bem-estar. Por isso, uma boa cama faz toda diferença. Mas, ao abordar uma peça tão significativa, não podemos deixar de lado a sua relevância na composição da decoração.


"Por, normalmente, ocupar um espaço maior que as demais peças, é fundamental que a cama esteja em harmonia com os demais elementos do quarto, como materiais e acabamentos aplicados”, explica a arquiteta Patricia Penna, à frente do escritório Patricia Penna Arquitetura & Design, que em seus projetos aposta em modelos que se destacam pelos estilos e características que marcam a decoração. Acompanhe as dicas da profissional:

Existem dois aspectos importantes a serem considerados na escolha da cama: o prático e o estético.

O primeiro está diretamente ligado ao bem-estar, e deve ser a maior prioridade. "O aspecto prático considera questões como a ergonomia geral; altura final, comprimento x largura, além dos materiais e a segurança do design. Costumo dizer que o trabalho vai muito além de simplesmente escolher a densidade do colchão, que já é importante”, explica arquiteta.

O segundo aspecto diz respeito ao estilo, que deve ‘conversar’ com a proposta do ambiente. "Sob esta ótica, a cama deixa de ser um elemento de função técnica e passa a ter importância e funções plásticas, podendo ser a ‘menina dos olhos’, de um quarto”, observa Patricia.

É essencial que a cama represente intimamente o gosto pessoal de quem a utilizará, regra que vale para todas as decisões do projeto, segundo a arquiteta. Todavia, com a cama isso deve ser levado ainda mais em consideração. "Já tivemos clientes que queriam manter a cama anterior ou nos indicaram um modelo específico que gostariam de ter, no novo dormitório. Nestes casos, os demais itens virão em consonância com o móvel. O cliente precisa sentir-se bem, afinal esse é o lugar de repouso dele”, afirma.

Após o estilo de cama definido, as dimensões precisam ser avaliadas. Segundo Patricia, quartos menores pedem camas proporcionais às suas dimensões. "É preciso que haja uma circulação de, no mínimo, 60cm, entre a cama e qualquer outra peça, ou parede, confrontante”, detalha. De acordo com a profissional, uma dica valiosa para dormitórios compactos é evitar camas com a chamada quina ‘viva’, que podem causar acidentes em circulações mais restritas.

Patricia acredita que, quando o assunto é cama, não existem tendências a serem seguidas. O que deve prevalecer é o estilo pessoal de cada um, mas afirma que os modelos de cama box com saias lisas e cabeceira, em tecido nunca sairão de moda. "O clássico e simples sempre seguirão alta, o que não significa que esta seja uma regra a ser seguida à risca”, finaliza.
Redação Bonde com assessoria de imprensa
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
Ano novo, novas tendências

5 apostas para decoração em 2021

04 DEZ 2020 às 16h52
Não erre na comemoração!

Profissionais trazem dicas de como aproveitar as festas de fim de ano com segurança

04 DEZ 2020 às 14h45
Aproveitamento de espaço

Portas de Correr: ganhe espaço e mais praticidade em casa com as recomendações do arquiteto

03 DEZ 2020 às 15h33
Foco na iluminação

Versatilidade e estilo: luminárias arandelas são boas opções para mudar o visual da casa

03 DEZ 2020 às 09h00
Composições estilosas

Arquiteta desvenda as inúmeras possibilidades para aplicação de tons terrosos no décor

02 DEZ 2020 às 17h00
Dicas valiosas

Arquiteta fala sobre como aproveitar o espaço da varanda

02 DEZ 2020 às 14h45
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados