Pesquisar

Canais

Serviços

Divulgação
MERCADO DE SEGUROS

Apenas 30% dos carros são segurados no Brasil

CV Folha
12 jan 2021 às 09:43

Até os primeiros meses de 2020 poucos brasileiros se preocupavam em investir em prevenção, a adesão aos diferentes tipos de seguro (automóveis, de vida, residência, financeiros, etc.) era baixa. Além disso, a economia do compartilhamento e os hábitos da sociedade contribuiam para que um seguro fosse considerado um serviço desnecessário.


Segundo a CNseg (Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais), até setembro do ano passado, somente 30% da frota brasileira possuía um seguro, além do DPVAT, que é obrigatório para todos os proprietários de veículos. Outras pesquisas apontam que essa porcentagem de veículos protegidos se reduz a 20%.


No entanto, esta tendência de circular sem seguro está sendo revertida e o mercado de seguros tem perspectivas positivas para este ano. Com a chegada da Covid-19 a prevenção começou a ser mais valorada e o segmento automobilístico está mostrando uma rápida recuperação. Com a procura por manter o distanciamento, o veículo se mostra como a opção de maior segurança diante do transporte público, provocando o aumento na compra de veículos, usados e zero quilômetros, e na aquisição de seguros


Nos últimos meses, o mercado de seguros registrou um aumento na demanda de diferentes produtos. Com relação a 2019, a contratação de seguros de vida aumentou 136% e a dos seguros financeiros aumentaram 157% nos primeiros meses do ano passado. Passando mais tempo em casa, os seguros residenciais e os seguros para equipamentos eletrônicos também mostraram um aumento na sua demanda. Porém o segmento de seguros para viagens, para eventos, entre outros estão passando por uma situação complicada.


No caso dos seguros para veículos, a maior adesão dos brasileiros também está motivada pelos preços mais acessíveis das apólices e aos novos produtos, criados a partir da flexibilização e adequação que a pandemia exigiu das empresas seguradoras.


Divulgação
Divulgação


Atualmente os motoristas, além do seguro compreensivo ou das coberturas anuais a medida contra colisões, acidentes, roubo e furto, etc., podem contratar seguros por tempo limitado, seguros para cobrir um trajeto específico e seguros pagos mensalmente de acordo com o uso do veículo.


Se antes já era complicado para o cliente escolher um bom seguro que estivesse ao alcance do seu bolso, hoje os possíveis seguros de veículos e seus preços são tantos que é preciso dedicar mais tempo para fazer uma cotação, analisar as propostas e escolher a melhor empresa, de acordo com o perfil do cliente.


No entanto, o seguro de veículos terminou o ano recuperando as vendas perdidas no começo da pandemia e com boas projeções para este 2021. Mesmo com as incertezas do futuro, as pessoas estão reconhecendo a importância de investir na prevenção e de se proteger diante de possíveis riscos no trânsito.

Apesar de todas as mudanças no segmento e os incentivos para que os proprietários de veículos contratem um seguro para seu automóvel, a adesão aos seguros continua sendo baixa, e será demorado modificar as questões culturais que levam os motoristas a circular sem um seguro.


Continue lendo