Pesquisar

Canais

Serviços

Dan Nakamura com a Bíblia que usa para seus estudos e orações
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
BELA MANCHETE

Em meio à batalha ao Covid-19, médico Dan Nakamura ora com pacientes

05 nov 2021 às 14:18
Continua depois da publicidade

Conhecido como o “Médico Cristão”, Dan Nakamura conta como lida com sua fé em ambiente de trabalho e  como foi enfrentar a Covid-19

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

 

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade

Ele chegou 15 minutos adiantado, muito sereno, mas ao mesmo tempo, aparentando contentamento. Nos sentamos em um Café muito aconchegante da Rua Paranaguá, e então, pude elencar toda a curiosidade e ansiedade em forma de perguntas para o entrevistado: o médico, com especialidade em medicina intensiva, Dan Janos Hiroshi Nakamura.


E toda essa curiosidade que me acompanhava se dava por saber sua história recente: Dan é o médico que ficou conhecido nas redes sociais por aliar seu conhecimento técnico à sua fé na batalha contra o vírus Covid-19, doença que tanto impactou e ainda, impacta nossa sociedade, na ala de UTI de um grande Hospital de Londrina!  


E mais, depois de tanto fazer por inúmeros doentes junto de sua equipe e parceiro de trabalho, o médico clínico e cardiologista, Adriano Freitas Ribeiro, Dan foi acometido pela Covid, o que o levou a ser internado e intubado por mais de uma semana! Mas com o trabalho intenso de uma grande equipe liderada pelo cardiologista Adriano, reagiu ao tratamento contra a Covid-19 de forma positiva e em uma semana já tinha saído da intubação e rumo à sua vida normal!

Continua depois da publicidade


Já iniciei os questionamentos abordando a sua postura no momento da necessidade de se internar contra o Covid-19. Perguntei se mesmo vivenciando a vida como cristão, se chegou a ter medo de morrer. “Todo mundo tem medo de morrer, isso é algo instintivo. E lido com isso diariamente por meio dos pacientes que trato. Nos casos graves que convivemos no Hospital, o medo de morrer é notório, mas posso afirmar que o processo para os que possuem fé e os que não vivenciam a fé, é diferente. Vejo que quem crê tem um “arsenal melhor” para lidar com a situação! Pois quem é cristão crê que esse mundo é passageiro, que esta não é nossa vida real, e então, o medo que fica é de como ficarão os que amamos. No meu caso, eu pensava nos meus filhos, como eles ficariam aqui, na minha esposa. Este era o medo, pois creio que a vida ao lado de Jesus é o melhor que podemos ter!”. 


E sem medo de contar sobre como ele vivencia sua fé, Dan deixa claro que a oração e o relacionamento com Deus fazem parte de todos os momentos de sua vida, o que inclui sua vida profissional. “Tudo que faço, realizo com fé. Realizo uma série de procedimentos considerados de risco em meus atendimentos hospitalares e antes de cada procedimento eu oro para que Deus me guie. Eu oro pra que a cada medicamento administrado, o paciente responda de forma positiva ao medicamento. Oro não exclusivamente sozinho, oro com os pacientes que demonstram essa vontade, com os enfermeiros, com a família dos pacientes. Eu realmente vivencio minha fé. E isso é um processo natural para quem é cristão”. 


O médico conta também que, sua fé é abordada de forma respeitosa, já que vivemos em um mundo plural. “Se chego em um quarto e possuem quatro pessoas internadas e uma é ateia ou tem outra crença, eu vou orar individualmente com cada paciente, não vou “orar pelo quarto”. Dentro de minha vivência na fé cristã, o respeito faz parte do amor e o que seria Jesus se não o puro amor?”.


Dan afirma ainda, que o respeito é uma máxima ali em seu local de trabalho, pois existe uma equipe de Capelania, onde é abordado a importância da individualidade. “Hoje, integro a capelania do Hospital em que trabalho. Me capacitei com eles para saber expressar a crença que possuo de forma adequada. A gente sempre acaba perguntando ao paciente se ele é cristão, se ele possui fé, para que haja o respeito acima de tudo”.


Nakamura comentou também, que ao contrário do que os outros pensam, lidar com tantos casos de vida e morte no hospital, e de ter passado pela Covid-19 de forma tão intensa não diminui sua fé. “Muitas pessoas me perguntam sobre o dia a dia no Hospital, se minha fé em Jesus não diminui ao ver o sofrimento das pessoas. Eu me entristeço em algumas situações, mas tendo cada vez mais convicção que tudo está nos planos de Deus. Sinto que nada é à toa. Não foi à toa que peguei Covid-19, que fiquei internado, que minha família teve de enfrentar tanto! Em tudo dai graças, está na Palavra de Deus. “ Em tudo dai graças; porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco (Tessaloniences5:18)”” . E continua contando que sua esposa, Ludimilla o relatou várias mensagens de ajuda e oração. “ Minha esposa contou vários episódios interessantes que surgiram com minha internação. Comentou que foram incontáveis as mensagens que ela recebeu. Tanto de pessoas conhecidas como de desconhecidos. Essa situação toda gerou comunhão, gerou o amor entre os irmãos. Pois no cristianismo, é nisso que acreditamos que todos somos irmãos e que o mundo precisa justamente de amor, de compreensão. E vivemos em um mundo oposto a isso, em que as opiniões políticas afastam, em que as pessoas usam as redes sociais muitas vezes para disseminar ódio e não respeito”.

 Falar sobre o amor rende uma BELA MANCHETE, certo?! É sobre isso que Dan Nakamura quis falar, sobre o respeito e o amor de Deus que consta em sua fé!


 E se quer saber diretamente detalhes sobre sua vivência na medicina, seu trabalho e fé, aguarde, pois ele prepara uma mudança em suas redes sociais para que ele aborde cada vez mais o trabalho de sua fé em Cristo em sua comunicação. Assim como pensa em escrever um livro, o “Diário de um médico Cristão”!

 Conte pra gente o que achou da entrevista e nos acompanhe nas Redes Sociais.:

@emilymullerg @nakamura_dan .

Continue lendo