Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Em frente à prefeitura

Merendeiras protestam contra salários atrasados em Londrina

Rafael Machado - Grupo Folha
12 jul 2022 às 17:25
- Rafael Machado - Grupo Folha
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Vinte merendeiras que trabalham para a Especialy Terceirização fizeram um protesto na tarde desta terça-feira (12) em frente à Prefeitura de Londrina, na zona sul. Elas afirmam que ainda não receberam os salários de junho, que deveriam ter sido depositados até a semana passada. 


Cada profissional recebe em média R$ 1,3 mil, além de benefícios como vale-alimentação e ticket-refeição. O grupo se concentrou em frente ao prédio da administração municipal perto das 12h com cartazes mostrando a revolta com o atraso. 

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Meia hora depois, elas seguiram para o gabinete do prefeito Marcelo Belinati (PP) na tentativa de conversar com ele. Foram recebidas por assessores, que informaram que o pepista estava em outra reunião e não poderia atendê-las. 

Leia mais:

Imagem de destaque
Faça sua inscrição gratuita!

Clube das Mães Unidas divulga a programação de cursos do mês de março

Imagem de destaque
Esporte tradicional

Primeira Copa Agroplay de futebol movimenta distritos de Londrina a partir de domingo

Imagem de destaque
Eventos gratuitos

Programação Especial Mulheres começa neste sábado no Sesc Cadeião Cultural

Imagem de destaque
Crianças de 10 e 11 anos

Dia D contra a dengue terá mutirão de vacina em shopping de Londrina


Representantes da Secretaria Municipal de Educação recepcionaram as merendeiras e ouviram as reivindicações. O objetivo era saber o posicionamento da prefeitura diante da falta de respostas sobre os salários. 


A secretária interina de Educação, Mariangela Bianchini, explicou que os pagamentos estão sendo repassados em dia para a terceirizada, que é do interior de São Paulo. Por mês, o poder público desembolsa R$ 537 mil pelo fornecimento da merenda, distribuída em 10 CMEIs (Centros Municipais de Educação Infantil) e 26 escolas da zona sul e nove CMEIs e 19 instituições municipais da região oeste. 


LEIA A MATÉRIA COMPLETA NA FOLHA

Publicidade

Últimas notícias

Publicidade