Pesquisar

Canais

Serviços

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade

A Zona Fantasma

27 jan 2005 às 11:00
Continua depois da publicidade

Lá no planeta Kripton, lar do super-homem, os bandidos são condenados à morte. Mas os maus, realmente os muito maus, são condenados a continuar vivos. E eternamente. Paradoxal, não? Mas agora, vem a pena; são condenados a viver em outra dimensão chamada de, "Zona Fantasma". Lá não existe cor (e para demonstrar isto os quadrinhos são cinzentos, só tem o contorno), não existe a alegria, não existe o sono, não existe o sorriso. Lá não existe o gosto, não existe o prazer. Em resumo, o estado de maior tortura da vida; gastá-la, dia a dia, vê-la passar como um fardo, na condição de zumbis, mortos-vivos. Sem gozá-la. E para piorar a miséria de sua existência, ainda com a visão do mundo colorido para lembrá-los permanentemente dos prazeres realmente caros da vida. Até mesmo da importância da tristeza, do choro que nos tempera, que nos melhora. Mas o mundo colorido não os vê, não os escuta, deixando desta forma ainda mais clara a sua condição de párias, de renegados, de marginais. Interessante, muito interessante a lógica de toda esta "ficção", não? Acontece que tudo isto, de uma certa forma, não é uma ficção. E tem a ver com esta frase despretenciosa e simplesinha que está aí em cima.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

No "nosso mundo",

Continua depois da publicidade


é impressionante a quantidade de pessoas que vive em Zonas Fantasmas. E sem saber ou, melhor, sem perceber. E isto é o mais incrível de toda esta provocação que estou começando. Só que existe uma grande diferença entre as Zonas Fantasmas de Kripton e da Terra. Lá, as pessoas são exiladas contra a sua vontade. Aqui, nos (auto)exilamos por que queremos(ou por que deixamos). E é fácil descobrir em que dimensão vivemos; quando sozinhos com nosso travesseiro, façamos a nós mesmos algumas perguntas; como está a nossa vida? Alegre? Colorida? Emocionante? Gostosa? Saborosa ou,.. bem, ...com gosto de sopa de chu-chú (sem sal)?


Misturando esta grande idéia da estória do super-homem com a frase que abre este artigo, ela fala dos três crimes que um cidadão pode cometer para auto-condenar-se a, diariamente, viver na Zona Fantasma;


No trabalho,

Continua depois da publicidade


quantas são as pessoas que não gostam do que fazem. Mas todos nós sabemos de tantos casos de pessoas que se tornam referencia, justamente por que rompem com o seu cômodo destino traçado. E fazem sua nova estrada; é o médico que tinha no surf sua grande paixão, que amava Garopaba ( S.C.) onde a temperatura da água pode ser definida como um gelado-polar. E que largou a medicina para criar uma pequena fábrica de roupa de neoprene para surf que, hoje, é respeitada como uma das melhores roupas do mundo. É o menino, sem muita perspectiva na vida, franzino, que se tornou um fisiculturista de tal qualidade que foi Mr. Universo, que não falava inglês mas virou ator em Hollywood. E dono de algumas das maiores bilheterias do cinema. E que se tornou o 1º governador estrangeiro nos EUA.. E do Estado mais rico que, sozinho, tem um PIB(bem maior) do que do Brasil. Está bem, neste campo as estórias de sucesso perdem(em muito) para as estórias dos que quebram a cara pois, como diz o poeta, "são demais os perigos desta vida". Legal quando dá certo mas, não, não quero ser um sonhador; loucos sonhos tem, estatisticamente, ínfima chance. Especialmente nos dias em que vivemos a realidade é muito dura com sonhos. Mas, e este é o ponto, devemos buscar o equilibrio entre estes dois extremos. Obs.; um dos princípios mais interessantes do Budismo é o que eles chamam de "O Caminho do Meio". Mas como aplicá-lo na vida profissional? Primeiro passo; acreditar que em nenhum campo da atividade humana tudo é lindo, perfeito, só felicidade(e achar isto, é a prova maior de imaturidade). Tenha você a certeza de que neste momento, se pudéssemos ver o Bill Gates trabalhando, o Antonio Ermírio de Morais, o Abilio Diniz, veríamos que eles estão enfrentando altíssimos e estressantes problemas irritantes, chatos, que não gostariam de ter. Conclusão; ao invés de sonhar com um trabalho perfeito, tornemos o nosso trabalho mais agradável, com menos problemas, mais leve, sejamos construtivos, positivos pois aí, até sem querer, nele teremos prazer, conseqüentemente, por ele não faremos só por dinheiro e não estaremos na Zona Fantasma.


No amor,


difícil fazer um caminho do meio. Aí é um pouco diferente; nos joguemos de cabeça quando realmente encontrarmos algo verdadeiro que nos constrói, que nos melhora, que é companheiro, que é desprendido. E para encontrá-lo temos que, digamos,"estar preparados". E estar preparado significa, por exemplo, termos ainda guardado, que seja lá no fundo, um pedacinho da luz daquele nosso 1º olhar inocente da paixão. Não o percamos no tempo pois se ele ainda existir, um dia será reconhecido... É isto que esta frase quer dizer com "ame como se nunca tivesse se machucado". Pois que ninguém me diga "que é assim" por que antes sofreu por amor, "que é assim" por que tem medo de sofrer de novo e outros tantos clichês, frases feitas que só devem servir para nos mostrar que aquela pessoa é de um comum tão raso. Não acreditemos, por que estas pessoas possuem uma grande tendência a caminhar para a Zona Fantasma. E nos levarão junto..., isto é o pior...


Na Vida,


"dance, dance,... nunca se importando se alguém.. estiver olhando". Não foi sem querer que o autor desta frase deixou esta parte por último; é o mais importante. O "dançar" significa "tenha atitude" e aqui, sem comentários; seria pretensão minha dizer o que é(ou o que deveria ser) ter atitude; cada um de nós sabe, dentro do nosso pequeno universo. O "nunca se importando.." significa não deixe alguém "fazer" a sua vida ou, talvez melhor, "viver por você" a sua vida e isto, infelizmente, é tão comum.

Enfim, abra suas asas, as asas da liberdade. Saiba usá-las, talvez até, descubra que as possui pois, como dizia Disraeli, "A vida é curta demais para ser pequena"......


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade