14/12/19
35º/19ºLONDRINA
PUBLICIDADE
Felipe Rocha dos Reis
Felipe Rocha dos Reis
04/04/2018 - 17:13
Imprimir Comunicar erro mais opções
No ano passado, a BMW lançou a sua primeira moto de baixa cilindrada, a G310R. Uma naked de uso urbano que pode ir pra estrada sem medo de ser feliz.
Fizemos um vídeo falando os pontos altos e baixos desta alemã. Confira!



Ficha técnica BMW G310R

Motor
Tipo - monocilíndrico, 4 tempos, 4 válvulas com duplo comando, refrigerado a água
Diâmetro / curso - 80 mm x 62,1 mm
Cilindrada - 313 ccm
Potência máxima - 34 hp a 9.200 rpm
Torque máximo - 2,85 kgfm a 7.500 rpm
Taxa de compressão - 10,6 : 1
Alimentação - Injeção eletrônica
Combustível - Gasolina
Bateria 12 V / 8 Ah

Felipe Rocha dos Reis/Oficina Londrina
Felipe Rocha dos Reis/Oficina Londrina


Transmissão
Embreagem - Multidisco em banho de óleo, deslizante, operada mecanicamente
Câmbio - 6 marchas
Transmissão - Corrente
Ciclística / freios
Quadro - Aço tubular resistente à torção e de construção robusta com quadro traseiro aparafusado
Suspensão dianteira - Garfo telescópico invertido KYB com curso de 140mm
Suspensão traseira - Balança traseira tipo braço oscilante em alumínio. Monochoque com link e ajustes na mola, com curso de 131mm
Distância entre eixos - 1,374 mm
Trail - 102,3 mm
Ângulo da coluna de direção - 64,9°
Rodas - Alumínio
Roda dianteira - 3.0 x 17"
Roda traseira - 4.00 x 17"
Pneu dianteiro - Pirelli Diablo Rosso 110/70 ZR 17
Pneu traseiro - Pirelli Diablo Rosso 150/60 ZR 17
Freio dianteiro - Disco simples de 300 mm
Freio traseiro - Disco simples de 240 mm
ABS - BMW Motorrad ABS

Dimensões / pesos
Comprimento (mm) - 2.005 mm
Largura (mm) - 849 mm
Altura (mm) - 1.080 mm
Altura do banco (mm) - 785 mm
Curvatura das Pernas - 1.760 mm
Peso - 158,5 kg
Peso total permitido - 345 kg
Capacidade do tanque de combustível - 11 litros
Reserva - 1 litro
27/03/2018 - 14:55
Imprimir Comunicar erro mais opções
Felipe Rocha dos Reis
Felipe Rocha dos Reis


O principal lançamento da Fiat neste ano é o sedã derivado do Argo, o Cronos. Competente e bonito, este carro certamente figurará nas listas de mais vendidos em sua categoria. Vamos entender o porquê.

A Fiat definiu bem o seu mercado, o dos sedãs médios, junto com o Chevrolet Cobalt, o Honda City e o novo Volkswagen Virtus. No entanto, a ousadia dos italianos veio na tabela de preços - o Cronos custa de R$ 53 mil a R$ 70 mil. Com isso, a Fiat não só disputa com os concorrentes citados acima, como despera interesse em quem pensa no Prisma, no Voyage, no HB20s e no próprio Grand Siena.

Agora, falando do carro e das impressões ao dirigir: o modelo testado foi o Precision 1.8 AT6. Quando visto de perto, surpreende pela beleza e pelo acabamento. Tudo impecável... As maçanetas cromadas, o friso lateral e as rodas aro 17 trazem um mix de sofisticação e esportividade.

Felipe Rocha dos Reis
Felipe Rocha dos Reis - O belo console do Cronos.
O belo console do Cronos.


Internamente, o Cronos é igual ao Argo. Linhas muito atuais e bonitas. O volante tem uma ótima empunhadura e revestimento em couro, muito bem costurado. O console tem uma textura macia aliada a uma faixa central da cor do carro. Até os botões são bonitos... Há paixão no desenho!

Sob o capô, o motor E-Torq 1.8, de 139 cavalos e 19,3 kgfm de torque, equipado com câmbio automático de seis marchas, mostrou-se econômico e forte, mesmo com o ar condicionado ligado. Nos aclives, o sedã não perdia o embalo e, na hora de uma ultrapassagem, mostrava confiança. Pudera, já que é o mesmo motor utilizado na pick-up Toro e no Jeep Renegade, bem mais pesados.

No quesito conforto, quem está na frente está bem servido. Ar condicionado digital com 5 saídas de ar, descanso para o braço e na porta, os apoios são almofadados. O banco é confortável e abraça o motorista nas curvas.

Para quem está atrás, o conforto não é o mesmo. Não é ruim, longe disso, mas não tem o mesmo requinte. Faltou uma saída de ar, como tem no Virtus e tinha no Stilo. O espaço para as pernas é bom, mas os mais altos podem cansar o pescoço, já que o teto vem ficando mais baixo. A porta traseira também tem o acabamento em plástico, o que tira um pouco do conforto para os braços. Estes foram os únicos defeitos que encontrei.

Em relação à conectividade, o Cronos não peca. Há algumas conexões USB, inclusive para quem está no banco de trás; e possibilidade de espelhar o smartphone na tela central. O som original é de muito boa qualidade também.

Felipe Rocha dos Reis
Felipe Rocha dos Reis - A frente é parecida com a do Argo, não igual.
A frente é parecida com a do Argo, não igual.


O painel é sensacional, traz muitas informações, até mais do que o convencional. Na tela central, o que a gente já conhece, consumo médio e instantâneo, hodômetro total e parcial, velocidade média e instantânea. O algo a mais: situação do óleo, situação da água, pressão dos pneus, voltagem e situação da bateria, horímetro do motor... Bastante coisa!

O porta-malas impressiona. Tem um ótimo espaço, que cabe malas grandes mesmo. Se precisar de mais espaço, os bancos se rebatem para carregar coisas ainda maiores.

As versões

Ao todo são cinco opções, sendo duas opções de motor, 1.3 Firefly e 1.8 E-Torq, e três opções de câmbio, manual, automatizado GRS e automático.

Essas versões partem de R$ 53.990 até R$ R$ 69.990, e todas possuem vidros e travas elétricas, direção elétrica progressiva e ar condicionado.

O veredicto

Eu compraria este carro, até nas versões menores. O preço é honesto para o que o carro oferece. Design bacana, motor forte, carro estável, tudo o que um sedã médio precisa para brigar forte na categoria!

Agradecimentos – Fiat Marajó, Kassia Folego e Rogério Antonholi.
21/03/2018 - 15:27
Imprimir Comunicar erro mais opções
Blog Oficina Londrina
Blog Oficina Londrina - Cesar ferro acelerando forte na reta dos boxes
Cesar ferro acelerando forte na reta dos boxes


Neste fim de semana, a convite do meu amigo e xará Felipe César, do blog Pista Fechada, fui acompanhar a primeira etapa do ano do Metropolitano de Velocidade e o retorno da tradicional Speed Fusca. O que tenho a dizer é que a experiência foi sensacional!

Normalmente, imaginamos o esporte a motor como algo distante, caro e elitizado, mesmo para quem quer só assistir. E é verdade, quando falamos na Stock Car, Fórmula Truck entre outras... Fórmula 1 então, nem se fala.

Porém, provas do Metropolitano e da Speed Fusca trazem outra realidade para quem gosta de automobilismo, e até para quem quer ter uma tarde diferente com a família.

Pra começar, a entrada é gratuita, não paga nada para assistir às corridas dessas categorias. O segundo ponto bacana é a proximidade entre os fãs do esporte e os carros e seus pilotos. Nesses eventos, o público pode transitar livremente na área dos boxes, acompanhar a preparação de um carro e aproveitar para tirar umas fotos na beirada da pista. A criançada adora!

Blog Oficina Londrina
Blog Oficina Londrina - O golzinho 'de rua' chega a quase 200 km/h no final da reta oposta
O golzinho "de rua" chega a quase 200 km/h no final da reta oposta


E para quem quer ser um piloto? Bem, isso fica um pouco mais caro, mas não é algo inalcançável. Conversamos com dois pilotos da Speed Fusca, justamente os que agitaram o retorno da categoria, Marcelo Rampazzo, engenheiro agrônomo, e César Ferro, representante comercial. Numa conversa bem informal, eles falaram para o blog sobre os custos para se ter um carro desses no grid.

O carro é a parte mais cara do negócio, pode ir de R$ 20 mil a R$ 30 mil. Depois disso, tem a inscrição para a prova, que é de R$ 1.200, e a equipe de preparação, que sai em torno de R$ 1.500.

Segundo Marcelo, os custos de manutenção são baixos. "Você tem o custo quando quebra alguma coisa do carro, se bem que quebra pouco. O freio, por exemplo, sai por R$ 70, já o motor não quebra."

O motor utilizado nos carros é o consagrado e conhecido Volkswagen AP, de 1,6 litros. Como a preparação deste é restrita - até para não encarecer a categoria -, o propulsor aguenta muitos e muitos quilômetros sem a necessidade de uma manutenção mais complexa.

Os pneus são os mesmos vendidos no mercado local para o consumidor comum, aro 14. Podem ser Pirelli, Goodyear, Michelin ou qualquer outra marca. Duram seis corridas ou mais, dependendo do estilo de pilotagem de cada um.

Blog Oficina Londrina
Blog Oficina Londrina - Cesar Ferro e Marcelo Rampazzo: parceiros na vida e nas pistas
Cesar Ferro e Marcelo Rampazzo: parceiros na vida e nas pistas


Quanto às provas, estas trazem muitas emoções. A reta dos boxes e a reta oposta, muitas ultrapassagens. No miolo também dá para ver os pilotos travando as rodas, freando cada vez mais tarde para buscar uma ultrapassagem.

Pra quem gosta de carros, fiquem atentos, logo mais tem de novo. A data prevista para a próxima corrida é 28 de abril. Uma ótima oportunidade para prestigiar o esporte e ter um momento diferente com a família!

Confira mais fotos no nosso Facebook.

Sigamos também no Instagram @oficinalondrina.
15/03/2018 - 16:05
Imprimir Comunicar erro mais opções
O Civic SI é um esportivo de verdade, assim como definiu a conceituada revista "Quatro Rodas". De tantas e tantas versões "esportivas" que vemos no país, onde muitas vezes apenas um aerofólio é adicionado junto com alguns adesivos, este Honda é diferente.

Divulgação
Divulgação


Para começar, este carro tem um motor 1.5 i-VTEC turbo, com 208 cavalos e 26,5 kgfm de torque. Na versão Touring, atualmente a top de linha, são 175 cavalos e 22,4 kgfm de torque. O motor é praticamente o mesmo, porém, com um remapeamento da injeção e um aumento na pressão do turbo compressor, houve um aumento de quase 20% em cavalaria. Este propulsor mais potente, aliado a um cambio manual de seis marchas, faz do SI um esportivo raiz!

E é claro que o visual mudou... A carroceria cupê agora conta com um aerofólio bem acentuado, o para-choques ganhou aberturas maiores e o escapamento agora está centralizado. Este é talvez o Civic mais bonito já produzido no Brasil.

No interior, os bancos são esportivos, com detalhes bordados em cinza e vermelho, além da sigla SI. A cor vermelha também é adotada em detalhes do painel e do console.
E por falar em cores, a Honda vai disponibilizar quatro: branco pérola (cor clássica dos esportivos japoneses), preto, azul metálico e o lindo e icônico vermelho sólido.
Outros detalhes bem legais nesse carro são os faróis em LED, sistema Lanewatch (assistência de permanência em faixa), rodas aro 18 e o botão Sport, que muda as respostas do chassis e da suspensão do carro.

Tudo isso por R$ 159.900. Este disputará mercado com o Volkswagen Golf GTI, comercializado por R$ 134.900, mais potente, porém, mais discreto e mais simples. A briga é boa!

Veja mais fotos.

Divulgação
Divulgação


Divulgação
Divulgação


Divulgação
Divulgação


Divulgação
Divulgação
27/02/2018 - 09:56
Imprimir Comunicar erro mais opções
No Salão das Duas Rodas do ano passado, a Yamaha lançou a surpreendente Yamaha Fazer 250 ABS. Uma moto totalmente nova, porém com o confiável motor 250 cilindradas que equipa a Lander e a Ténéré.

Esta moto com certeza vai dar trabalho para a Honda e a sua CB 250F Twister! Confira abaixo o vídeo do nosso test drive!



Curta nossa página no Facebook.
Siga-nos no Instagram: @oficinalondrina.
Felipe Rocha dos Reis
 
Nascido em São Paulo, Felipe Rocha dos Reis sempre foi um entusiasta por carros e motos. Quando criança - ao contrário dos outros garotos que queriam ser jogador de futebol – Felipe sonhava em ser mecânico da Formula 1. Cursou Técnico em Mecânica pelo SENAI, Tecnologia Mecânica pela UTFPR e está na reta final de Engenharia Mecânica pela Faculdade Pitágoras - Londrina. Trabalha como projetista de máquinas industriais, mas não deixou de lado toda paixão e expertise pelos automotores de duas e quatro rodas.



ARQUIVO
Mês
Ano
AVISO: Opiniões e informações contidas nos blogs hospedados nesta plataforma são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem os valores do Portal Bonde.
PUBLICIDADE